COTAÇÃO CÁLCULO DE MOLAS DESENHO BUSCA POR FORNECEDORES TREINAMENTOS
Login Web Molas
 
 
 
:: Webmolas - o maior conteúdo de molas da web ::
Sabado, 16 de Outubro de 2021
Notícia : 10/01 - Centrais sindicais pressionam por mínimo de R$ 360
As centrais sindicais vão apresentar amanhã ao ministro do Trabalho, Luiz Marinho, uma nova proposta para o reajuste do salário mínimo. Pela proposta, que foi selada numa reunião realizada hoje entre as principais sindicais do país, o salário mínimo subiria de R$ 300 para R$ 360 a partir de 1º de maio.

A proposta é menor que a reivindicação inicial das centrais sindicais, que pediam um salário mínimo de R$ 400. Em contrapartida, as centrais querem vincular o reajuste do mínimo à correção de 10% da tabela do Imposto de Renda.

"Se não houver correção da tabela de IR, também não terá acordo para o salário mínimo", afirmou o presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho.

Para o presidente da CGT (Confederação Geral dos Trabalhadores), Antonio Carlos dos Reis, o Salim, o novo salário reivindicado pelas centrais não é o ideal. "Não podemos ter a ilusão de pedir um valor que o governo não terá condições de pagar."

Para recompor o poder de compra do mínimo no longo prazo, as centrais vão propor ao governo a criação de um programa de metas para a correção do salário, assim como há para a inflação e superávit primário. "Dessa forma se cria uma previsibilidade e se acaba com a novela sobre o reajuste do mínimo que ocorre todo ano", disse o presidente da CUT, João Felício.

Segundo ele, a nova proposta representa um meio-termo entre o mínimo de R$ 321 previsto no Orçamento de 2006 e a reivindicação inicial das centrais. "A elevação do mínimo para R$ 360 representará um aumento real de 14%. O mínimo nunca sofreu uma correção tão alta."

O Planalto chegou a acenar inicialmente com possibilidade de elevar o mínimo para R$ 350 e corrigir a tabela de IR em 7%. Mais tarde, representantes da equipe econômica disseram que para elevar o salário mínimo para R$ 350 não seria possível corrigir a tabela do Imposto de Renda.

Felício disse que as centrais rejeitam a proposta de elevar o mínimo para R$ 350. "Nossa proposta foi fechada com muita unidade entre as centrais e está vinculada à correção da tabela de IR."

Em 2004, as centrais sindicais pediam que a tabela sofresse uma correção de 17% para zerar as perdas acumuladas no governo Lula, mas o governo concedeu um reajuste de 10%.

No ano passado, as centrais chegaram a pedir 13% de correção --referente a inflação deste ano mais 7% que não foram concedidos em 2004. Como não houve acordo, o impasse ficou para ser negociado no começo deste ano de 2006. Agora, a reivindicação para a correção da tabela de IR caiu para 10%.

Desde 1996, a tabela sofreu somente duas correções: de 17,5%, em 2002, e de 10% em 2005. A equipe econômica, entretanto, sinalizou que a correção da tabela de IR não está entre as prioridades do governo. Para eles, a correção não gera "justiça social", pois beneficia apenas de 6% a 7% da população --quem paga IR.
Fonte: Folha Online

Anuncie no Webmolas.com.br    Assine o Webmolas.com.br
 Contato    Cadastre-se
Resolução Mínima 800x600 © Copyright 2001 - 2007 WEBMOLAS